Queloides são cicatrizes que aparecem alem da superfície da pele, surgem a partir de lesões cicatriciais em algumas regiões do corpo. Eles se caracterizam por cicatrizes endurecidas, brilhantes, lisas e elevadas que muitas vezes apresentam coceira ou dor, apresentando formatos irregulares que não se limitam ao local da lesão. Diferentes das cicatrizes, os queloides não diminuem de tamanho com o passar do tempo.

  • pele-com-queloide
    Pele com Queloide
    O queloide pode surgir após lesões na pele, desde feridas comuns, cortes cirúrgicos, acne, colocação de piercing e até tatuagens.
  • Pele com QueloideMuitas pessoas procuram ajuda dermatológica para tratar o queloide, quando na verdade, tem apenas uma cicatriz hipertrófica.
 

Queloides são cicatrizes que aparecem alem da superfície da pele, surgem a partir de lesões cicatriciais em algumas regiões do corpo. Eles se caracterizam por cicatrizes endurecidas, brilhantes, lisas e elevadas que muitas vezes apresentam coceira ou dor, apresentando formatos irregulares que não se limitam ao local da lesão. Diferentes das cicatrizes, os queloides não diminuem de tamanho com o passar do tempo.

Quando a pele sofre um ferimento, suas células se multiplicam preenchendo o espaço que ficou vazio devido á morte celular, o correto é que esta reprodução se encerre assim que o espaço for preenchido, formando uma cicatriz, que irá diminuir com o tempo. Se as células continuam se reproduzindo após este espaço ter sido preenchido surge uma cicatriz queloideana. Geralmente apresentam cor púrpura, rosa ou marrom, podem ser macios, firmes ou endurecidos ao toque.

Queloides são resultado de um super crescimento celular (hiperplasia), tornando exagerado o tecido que envolve a lesão e podem acontecer após traumas, cirurgias, úlceras de pressão, vacinas, acne e em locais onde objetos estranhos perfuraram ou agrediram a pele. Podem surgir também em locais onde não houve ferimento, existem pessoas propensas a desenvolver queloides em vários lugares do corpo. Os lugares mais afetados são: ombros, pescoço, central do tórax, dorso, lobos das orelhas, parte superior das costas, queixo, parte inferior das pernas.

Há queloides que se formam até um ano após a lesão. Alguns médicos solicitam uma biópsia (retirada de um pedaço do queloide) para analisar a textura e a possibilidade deste se tornar um tumor.

Pessoas negras têm mais facilidade para desenvolver este tipo de alteração na cicatrização, segundo pesquisas, devido à descendência africana e não à cor da pele.

É raro surgirem na velhice ou na infância, sendo mais comum da puberdade aos trinta anos, as mulheres possuem maior tendência a desenvolverem queloides que podem aumentar durante a gravidez.

Devido á sua aparência os queloides causam um desconforto estético muito grande, além de uma possível coceira ou da interferência com alguma junta do corpo.

Para aqueles que têm propensão a desenvolver queloides, quando necessária uma cirurgia, os médicos recomendam aplicações de corticoides, costumam cobrir onde foi aberto com uma fita de silicone, e podem até solicitar algumas sessões de radioterapia no local da ferida cirúrgica, para evitar o surgimento deste tipo de cicatriz.

Não existe um tratamento específico para tratar um queloide e sim uma série de procedimentos que podem ser combinados para aumentar sua eficácia, quanto antes forem iniciados, melhor serão os resultados alcançados.

Quais são os tratamentos para Queloides?

Injeções de cortisona (corticoide intralesional) – As injeções são o tipo mais indicado de tratamento para queloides pequenos ou que estão no início do desenvolvimento. O medicamento é injetado na lesão (onde já apresenta relevo), com intervalo de quatro a seis semanas. Este tratamento diminui o tamanho da cicatriz e a irritação.

Cirurgia convencional (retirada cirúrgica) – Consiste em se fazer incisões intralesionais preservando suas bordas, ou remoção de toda lesão a depender do seu tamanho.

Criocirurgia – Esta técnica consiste em congelar a lesão com nitrogênio líquido para reduzir o queloide tornando-o mais liso e com menos relevo, mas pode causar o clareamento da pele no local onde for aplicado o nitrogênio. O ciclo do tratamento varia de 20 a 30 dias, conforme a lesão.

Laserterapia – Muito eficaz no clareamento e diminuição do Queloide.

Compressão – Compressão direta sobre o queloide tornando-o menos endurecido.

Betaterapia – É recomendada quando o indivíduo apresenta tendência a desenvolver queloides e necessita de uma cirurgia, nesse caso a aplicação de radiação no local onde houve a necessidade de realizar cortes pode reduzir o risco de surgirem Queloides.

Medicamentos recentes – Interferon, Fluoracil e Bleomicina aplicados na lesão podem ser muito benéficos, assim como o Tamixofeno que diminui a produção de colágeno responsável pelo crescimento exagerado da cicatriz.

Riscos

A formação de queloides podem ocorrer mesmo pós-tratamento, pois existe uma grande predisposição pessoal.