Existem diversos tipos de cistos, porém os mais comuns são os cistos sebáceos, que podem ser epidérmicos ou triquilemais.

Os cistos epidérmicos e os triquilemais são encontrados com maior freqüência, porém o conteúdo de ambos é a queratina (substância que constitui a camada superficial da pele). O cisto geralmente não apresenta nenhum incômodo, porém ao surgir sobre extremidades ósseas do tronco ou no couro cabeludo, pode causar desconforto ou dor quando pressionado.

  • pele-com-cisto
    Pele com Cisto
    Cistos são benignos e podem surgir em qualquer região do corpo, mas são mais comuns na face, no pescoço e no tronco.
  • Pele com Cisto
    A doença atinge adultos de ambos os sexos e podem vir acompanhados de doenças genéticas.

Na maioria dos casos as lesões têm forma esférica, são móveis, indolores, possuem consistência elástica ou endurecida e suas medidas podem variar. Quase sempre são localizados na cabeça, pescoço e tronco. Pode existir no centro dos cistos, um ponto escuro conhecido por “abertura folicular”.

Caso o cisto inflame por ruptura da cápsula, ele se torna avermelhado, dolorido e tem sua temperatura elevada em relação ao resto do corpo.

Quais são os tipos de cistos?

Cistos epidérmicos: São os cistos mais comuns. Originam-se da proliferação de células da epiderme dentro da derme e geralmente tem origem genética.

Cistos triquilemais: São os cistos menos freqüentes. Originam-se do folículo piloso, geralmente no couro cabeludo.

Millium: Localizados principalmente na face, ao redor dos olhos, são lesões pequeninas superficiais e amareladas ou esbranquiçadas. Podem atingir tamanhos maiores em casos isolados.

Como é feito o tratamento dos cistos?

O tratamento dos cistos é cirúrgico, o recomendado por médicos especialistas é a retirada completa do cisto incluindo a sua cápsula para evitar o retorno da lesão.

Dependendo do tipo e localização do cisto pode ser realizada apenas uma incisão para que seja drenado o conteúdo do cisto, e posteriormente a cápsula é destruída com a aplicação de cáusticos. Jamais se deve espremer o cisto, pois isso pode causar uma ruptura em sua cápsula, de onde pode vazar seu conteúdo dentro da pele, inflamando o local.