A pele é o maior órgão do corpo humano, tornando-se um alvo fácil para infecções, lesões, micose e manchas.

Entre suas diversas funções, é responsável pela proteção contra os agentes do meio ambiente. Exatamente por isso, os cuidados com a cútis devem ser redobrados. Ainda mais quando falamos de um vírus pouco conhecido: o molusco contagioso. Causado pelo poxvírus, um parente da varíola, o molusco contagioso causa diversas lesões cutâneas na pele. Esta doença não apresenta qualquer perigo à saúde, porém, a infecção pode durar mais de seis meses, causando ardência, coceira e desconforto. Em crianças as áreas mais expostas tendem a ser as mais afetadas, como: os braços, mãos, pernas e pés. Já nos adultos é habitual ocorrer na área genital. Pessoas imunocompetentes, com imunidade normal, eliminam a virose naturalmente, sem a ajuda de remédios, no prazo de 6 meses a 5 anos.

  • pele-com-molusco-contagioso
    Pele com Molusco Contagioso
    As lesões do Molusco Contagioso são pequenas, elevadas, hemisféricas, da cor da pele e com aspecto translúcido.
  • Pele com Molusco Contagioso
    O Molusco Contagioso se desenvolve comumente em crianças, devido à imunidade ainda não estar bem desenvolvida.

Como ocorre a transmissão do Molusco contagioso?

O vírus é transmitido no contato da pele de uma pessoa que possua as lesões para outra, durante a relação sexual, por objetos pessoais, como toalhas e em piscinas, afetando com grande incidência crianças e jovens. Dentro das pequenas verrugas causadas pela doença, existe uma substância líquida que contém o vírus, e é altamente infecciosa.

Quais são os sintomas do Molusco contagioso?

Depois de infectar as células da pele, o vírus passa por um período de incubação de 2 a 8 semanas. Em seguida, surgem pequenas lesões, denominadas como pápulas, com cerca de 2 milímetros. Freqüentemente se tornam vermelhas e inflamam, podendo causar dor. Devido à facilidade para transmissão pode se espalhar em diversas áreas do corpo, como tórax, abdome e nos genitais.

Existe algum grupo de risco com maior possibilidade de contágio?

Qualquer pessoa exposta ao vírus, por meio do contato com a pele, pode desenvolver a doença. No entanto, crianças tendem a pegar mais moluscos que os adultos, por não ter a imunidade desenvolvida contra o vírus. Algumas regiões com climas tropicais favorecem o seu crescimento, devido ao calor e a umidade.

Esta doença apresenta perigo para a saúde?

Molusco contagioso não apresenta qualquer perigo, sendo apenas desconfortável devido aos pequenos tumores, benignos, que aparecem pelo corpo causando dor e coceira. No entanto, reflete o enfraquecimento do sistema imunológico.

Como sei que tenho molusco contagioso?

É necessário buscar orientação de um especialista, que determinará se o paciente esta com a doença. Em alguns casos o diagnóstico é realizado por recolha de amostras do tecido para exame de biópsia, as células do molusco contagioso são facilmente identificadas.

Como que é realizado o tratamento para Molusco contagioso?

Existem algumas formas de combater o molusco. Pode ser por meio de curetagem, aplicação de nitrogênio líquido ou de ácidos tópicos. A resposta ao tratamento será de acordo com o organismo de cada paciente. Tratamentos alternativos podem ser realizados com pomada, com substâncias antiinflamatórias e/ ou secativas, e sabonetes especiais.

Quais são os cuidados que se deve tomar após o término do tratamento?

O paciente deve voltar ao consultório médico dentro de 15 dias a 2 meses, após a realização do tratamento, para garantir que as lesões foram erradicadas.

É possível o molusco reaparecer após término do tratamento?

Sim. É provável que haja re-infecção em uma pessoa que já foi tratada. Se o tratamento tiver início assim que se identificarem novas lesões, a condição poderá ser fácil de controlar.